Entenda a Ciência dos Dados

Transformar Dados em Informações Mensuráveis, para então usufruir em forma de Conhecimento é algo há muito explorado pelos sistemas de BI (Business Intelligence), mas com o aumento de fontes (Redes Sociais, Internet,…) e volume esse conceito recebeu uma nomenclatura mais ampla – o Big Data – transformando-se em algo muito mais poderoso que possibilita o cruzamento das informações corporativas com as informações de mercado, gerando assim um importante mapa estratégico para as empresas que souberem se utilizar desse recurso.

Uma das maiores dificuldade de adoção desse caminho, é compreender a amplitude desse universo de dados, que cresce exponencialmente em 3 diferentes caminhos: Velocidade, Volume e Variedade.

Quando o Big Data é devidamente tratado vira Ciência, nesse caso a Ciência dos Dados.

Ciência dos Dados é uma grande oportunidade para empresas transformarem informações em oportunidade, independente da área, todo o negócio pode ser afetado por uma informação bem lapidada. Obviamente, que as áreas ligadas diretamente ao mercado – marketing, comunicação, vendas,… – são as que estão com maior expectativa e interesse na evolução desse mercado, afinal, antecipar uma tendência ou ter dados suficiente para tomar uma decisão estratégica com base em informações confiáveis é um grande diferencial competitivo.

Apesar do termo estar sendo adotado por grandes fornecedores de TI (IBM, EMC, HP), a verdade é que esse cruzamento pode ser feito para negócios de qualquer tamanho. Boa parte das ferramentas com esse fim são gratuitas e de código aberto (como o Hadoop), assim sendo o grande diferencial torna-se a visão estratégica do que explorar, e não o como fazer. Existem empresas startups utilizando-se muito bem desse recurso e assim acertando a direção de seus produtos ao serem lançados no mercado, reduzindo custos e aumentando a participação de mercado mais rapidamente.

Obviamente que os grandes casos são os mais comentados na mídia. Obama utilizou-se desse benefício a seu favor durante a campanha presidencial em 2012, enquanto em 2008 o fator decisivo foi a Estratégia Digital, nesse ano a Ciência dos Dados foi o ponto forte da estratégia, já que boa parte da comunicação era dirigida para os pontos de contato que os dados apontavam. Quem obviamente melhor utiliza-se desse recurso estratégico – e já faz muito tempo – é o Google, alguns chegam a dizer que 90% das decisões tomadas por eles são baseadas exclusivamente em dados, com pouco espaço para “decisões humanas”.

Uma forma interessante de entender como esses dados podem ser visualizados de forma que auxiliem na tomada de decisão foi como a genial Fernanda Viégas demonstrou em um TED em 2009, vale a pena conferir:

Colabore! Deixe seu comentário aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s