Por isso não entendo Cannes

on

Cannes é um dos grandes mistérios da publicidade.

cannesPublicitários de todo o mundo encontram-se para confraternizar e trocar prêmios entre si.

Tudo bem, entendo a questão de um reconhecimento pelo trabalho, descobrir aqueles que mais destacaram-se e reconhecer seus esforços, o problema é o critério adotado.

Nesse ano, várias das campanhas escritas tinham formato “Cannes”, que na linguagem popular significa: bacana aos olhos dos jurados independente se foram para rua efetivamente ou foram apenas produções conceituais.

Hoje saiu no Estadão um dos grandes vencedores, e o título da matéria diz tudo: ‘Superhumanos’ emociona e leva Grand Prix:

Ok, a campanha é legal, minhas dúvidas são:
Quantas pessoas foram impactadas?
Quantas foram impactadas de forma orgânica?
Quantas dessas impactadas engajaram-se com a mensagem a ponto de disseminá-la?
Quanto isso impactou no business do anunciante?
E talvez o mais importante, quanto desse universo impactado realmente Emocionou-se com a campanha?

Óbvio que é uma discussão em vão, afinal nessa premiação “emocionar” os jurados de Cannes já é o suficiente. A questão não é resultado da campanha para a marca, ou até o quanto isso impactou o público, o importante é premiar, segundo a opinião dos especialistas da área, desprezando as variáveis de performance e até mesmo o público teoricamente impactado.

Entre os grandes vencedores de Cannes estão:
– Marcas com grandes dificuldades
– Agências fechando
– Campanhas que não foram para o público geral
– Publicitários que não fazem nada já faz muito tempo, mas assinam as peças.

Sei que é uma opinião muito racional, que despreza todo o emocional que cerca a publicidade desde sua origem, algo que nos trouxe até aqui, que criou um dos maiores setores econômicos e que movimenta bilhões de dólares em todo o mundo, mas será que não chegou a hora de evoluir?

A publicidade precisa continuar emocionando, gerando conexões afetivas entre marcas e pessoas, mas na hora de escolher quem realmente fez a diferença, não seria bacana avaliar resultados ao invés de apenas percepção de sucesso?

Mas não desisti, continuo tentando entender…🙂

1 comentário Adicione o seu

  1. Vanuza Cavalcanti disse:

    Realmente, parece que Cannes e todas as antigas estruturas estão com dificuldade de perceber que o velho modelo piramidal ruiu e que o jeito é comprar o livro do Nepô, Gestão3.0 pq lá está tudo desenhado…

Colabore! Deixe seu comentário aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s