Seu próximo funcionário será 100% data-driven

Seu próximo funcionário será 100% analítico.
Mas ele provavelmente não será humano.
Apenas seguirá as regras determinadas por humanos.
Você precisará gerenciar as rotinas dele.
Precisará ensinar novas coisas para ele.
Mas ele não vai discutir com você sobre os fatos.
Afinal:
Ele consome muito mais dados do que você tem capacidade de processar;
Ele faz análises em poucos segundos, independente do volume de dados;
Ele não dá o parecer pessoal dele;
Ele não comete erros;
Ele apenas executa o que você manda ele fazer.
Você vai ensinar algumas regras “humanas” para ele.
Mas ele sempre vai olhar primeiro para os dados, afinal, é o que ele faz de melhor.
Esse novo funcionário, precisará interagir com seus outros funcionários, os humanos.
Ele vai precisar aprender com eles, porque quanto mais ele aprender, mais eficiente ele será.
Eles vão se comunicar através de dados, sejam inseridos em forma de conversas ou códigos.
E você, vai precisar gerenciar essa “transação de dados” entre eles.
Afinal, toda base de conhecimento da sua empresa passará por essa análise.
Será inevitável que você se torne mais analítico.
A máquina será um funcionário muito exigente, afinal ele é 100% data-driven.
Seus funcionários humanos serão cada vez mais orientados por dados, pois também precisam errar menos.
Na verdade, precisam errar mais rápido, erros menores.
Os dados podem ajudar muito na avaliação desses “experimentos de negócio”.
Minha pergunta, nesse monólogo de um futuro-próximo, é:
Você está preparado para liderar essa Transformação Analítica?

Você pensa de forma analítica?
Suas decisões são mais baseadas em percepções do que em dados?
Sua gestão é baseada em informação (ela circula de forma transparente e rápida)?
Seus times pensam de forma analítica?
Você tem os tipos e perfis de pessoas para fazer essa gestão mais analítica?
Você pode não concordar com essa reflexão toda, mas precisa admitir que:
A transformação digital será cada vez mais rápida;
Mais tecnologia, significa mais dados;
Mais dados irão gerar mais análises;
Mas análises exigirá mais capacidade de processamento, ou seja, mais máquinas;
Ou seja, essa Revolução Analítica está cada vez mais próxima!

Estudamos muito isso tudo aqui nos laboratório da Cappra Data Science, a tomada de decisão com base em dados e análises, o processo de transformação de dados em informação, o consumo de informação para melhorar a eficiência do processo organizacional, ou seja, todos esses pilares Data-Driven, recentemente estudamos profundamente também esses novos líderes, e criamos um programa executivo para debater isso com quem está liderando essa transformação. Chamamos esse programa de CDO – Chief Data Officer, ele começa na próxima segunda (20/8) em São Paulo, em turma única esse ano. Dá uma conferida, as vagas estão acabando www.cappralab.com/cdo


Lembrando que também começa no dia 20/8, em São Paulo, a última edição de 2018 do nosso programa para formação de futuros Cientistas de Dados, o BARBARA, ele é voltado para aquelas pessoas que trabalham no processo de transformação de dados em informação. Pode conferir todas informações aqui nesse link www.cappralab.com/barbara